Close

17 de setembro de 2019

Drauzio Varella e a ideologia de gênero

A ideologia de gênero deve ser enfrentada com um diálogo construtivo, que ajude as pessoas a encontrarem sua plena realização afetiva e sexual, reconhecendo os direitos de todos.

Tem causado impacto um artigo bastante agressivo onde Drauzio Varella diz que ideologia de gênero não existe e que aqueles que a combatem são repressores, ignorantes e manipulados por demagogos.

No artigo, Varella faz um link à notícia de que um grupo tentou forçar Judith Butler, uma das autoras da “teoria de gênero”, a não dar palestras no Brasil. Um erro não justifica outro, o diabo se diverte quando pessoas boas incitam a violência para opor-se ao mal.

Mas pode-se fazer, sem obscurantismo, uma demonstração crítica e racional da existência da ideologia de gênero – e de seus problemas teóricos e práticos.

Varella levanta uma série de dados científicos sobre indefinições biológicas do sexo. Poderíamos até acrescentar mais dados, envolvendo fatores psicológicos e até sociais que impedem que a pessoa se identifique como homem ou mulher.

Dois problemas de fundo acabam transformando esse debate numa luta infrutífera em vez de um diálogo construtivo:

  1. Todos reconhecemos a existência de pessoas homossexuais, o erro é a concepção ideológica de que a pessoa pode construir seu próprio gênero sem uma adequada referência a sua biologia. O diálogo construtivo é aquele sobre a melhor forma de ajudar cada um a realizar-se plenamente no campo afetivo-sexual, respeitando sua liberdade e suas características pessoais.
  2. A existência de grupos extremistas – em ambos os lados – que desejam se afirmar violentamente sobre os que pensam diferente. Criam desnecessariamente um clima de guerra que acaba inviabilizando o diálogo construtivo entre aqueles que querem realmente o bem do outro.

2 Comments on “Drauzio Varella e a ideologia de gênero

Wilson Teixeira
23 de setembro de 2019 em 21:08

De acordo, professor Borba! Porém o que mais me surpreende é ver que em nome da ciência, vista (equivocamente) em oposição à religião, o competente Dr Varella parte do desconhecido pois não há até o momento no mundo qualquer prova científica, prova científica mesmo, no sentido puro acadêmico, da origem do homossexualismo e tão pouco há provas de mesma importância para as inclinações afetivas decorrentes. Então vemos a ciência, no caso personificada pelo Dr Varella, recusando utilizar-se de métodos científicos para provar cientificamente o até agora improvado. Incoerências da vida!

Responder
Borba
24 de setembro de 2019 em 08:06

Pois é Wilson. Varella levanta dados médicos e biológicos reconhecidamente válidos. Só que aí faz exatamente aquilo que caracteriza a ideologia: usar alguns aspectos da realidade para ocultar outros. Seu texto acaba se tornando um exemplo da ideologia de gênero que ele diz não existir. O alerta que fica para nós, contudo, é da necessidade de sempre procurarmos reconhecer o que existe de válido no discurso do outro e quais são seus justos diritos, para não cairmos nós também nesses erros.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *