A beleza, a verdade, a bondade e a doutrina social da Igreja

O belo, tal como o verdadeiro e o bom, nos conduz a Deus.
Ele nos diz mais sobre o que são a verdade e o bem
(Cf. Via pulchritudinis, caminho privilegiado para a evangelização e o diálogo. Documento do Pontifício Conselho da Cultura)

A verdadeira beleza tem muito a dizer à doutrina social da Igreja. “Frequentemente, nas últimas décadas, a verdade foi instrumentalizada pelas ideologias e a bondade foi reduzida apenas a um ato social, como se a caridade para com o próximo pudesse deixar de tirar sua força do amor de Deus”, observa o Pontifício Conselho da Cultura. Nesse contexto, a verdadeira beleza pode ser caminho para a reta compreensão da bondade e do compromisso social, quanto para o encontro com Cristo. “O caminho da beleza, partindo da experiência muito simples do encontro com a beleza que suscita fascínio, pode abrir o caminho da busca de Deus e dispor o coração e a mente ao encontro com Cristo […] Convida os novos Agostinhos do nosso tempo, buscadores insaciáveis ​​do amor, da verdade e da beleza, a elevar-se da beleza sensível à Beleza eterna e a descobrir fervorosamente o Deus Santo que é o Criador de toda a beleza”, continua o documento.

Essa verdadeira Beleza não se reduz a um esteticismo formal, mas corresponde ao encontro da Verdade e da Bondade pelas quais anseia todo ser humano. Nesse sentido, é um antidoto contra as manipulações ideológicas e as paixões partidárias que podem nos afastar do caminho justo – mesmo quando nos movemos com a melhor das intenções. Quando o nosso coração não vibra e não se comove pela beleza, que transparece até no sofrimento e na dor, é sinal de que falta alguma coisa para que nosso caminho não seja apenas de busca da justiça humana, mas também de busca pelo amor de Deus para conosco e para com nossos irmãos.

Para ler esse documento, busque na Internet: Assemblea Via pulchritudinis (em italiano) ou Assembly Via pulchritudinis (em inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.