Política e eleições a partir das reflexões do Papa Francisco e da Doutrina Social da Igreja

Diante de um quadro político extremamente agressivo e polarizado, as comunidades católicas têm tido dificuldade para dialogar sobre as escolhas a serem feitas nas eleições que se aproximam. Multiplicam-se, dentro do ambiente eclesial, as “bolhas ideológicas”, onde as pessoas tendem a concordar entre si, mas não contemplam os argumentos contrários. Nesse clima, as reflexões podem até ser frutíferas, permitindo aprofundar posições já cristalizadas, mas não colaboram para o diálogo constantemente proposto pelo Papa Francisco (cf. Discurso no encontro com a classe dirigente do Brasil; Querida Amazonia, QA 108; Fratelli tutti, FT 198ss).

Em função disso o Núcleo Fé e Cultura da PUC-SP propõe, a partir do Compêndio da Doutrina Social da Igreja e da encíclica Fratelli tutti, do Papa Francisco, a reflexão sobre três questões polêmicas relacionadas à política e às eleições que se aproximam:

  1. Estamos cansados de política, devemos mesmo refletir sobre isso? Como dialogar sem dividir nossas comunidades e nossas famílias?
  2. Os católicos deveriam ter um partido ou votar obrigatoriamente em alguns candidatos e não em outros?
  3. Existem mesmo princípios irrenunciáveis que devem orientar as escolhas políticas dos católicos? Se existem, quais são?

Para cada questão é apresentada a posição da Igreja, conforme expressa nos documentos citados, e uma discussão sobre as objeções levantadas com mais frequência a essas posições. Existe sempre, em cada resposta, a preocupação de ouvir e responder às objeções levantadas por posições antagônicas no debate ideológico, buscando construir uma visão integral e não partidarizada de cada tema.

Para aprofundar qualquer um desses temas ou para solicitar assessoria para encontros, envie um e-mail fecultura@pucsp.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.